Defesa Civil Estadual realiza Simulado de Gestão de Desastres

postado em: Sem categoria | 0

Evento serviu para capacitar órgãos de segurança em situações de riscos

 28 de outubro de 2021 |  13:54

Dados fornecidos pela  Organização Mundial de Saúde  (OMS) confirmam que o Brasil ocupa a 4ª posição no ranking mundial de mortes ocasionadas por acidentes no trânsito, estando associado à este cenário, os acidentes automobilísticos envolvendo a rede de distribuição de energia. No Estado de Sergipe, os números são considerados preocupantes, uma vez que entre os meses de janeiro e outubro deste ano, já foram registradas 180 ocorrências de colisões de veículos em postes da rede elétrica.

Objetivando preparar os órgãos de resposta aos desastres para atuarem nesse tipo de atuação periclitante, o Departamento Estadual de Proteção e Defesa Civil (Depec) realizou na tarde da quarta-feira, 27, na Praça de Eventos da Orla da Atalaia, na Zona Sul da capital,  um simulado de Gestão de Desastres, com a participação de agentes da Defesa Civil Estadual e Municipal (Aracaju), Corpo de Bombeiros Militar de Sergipe (CBMSE), Polícia Militar de Sergipe (PMSE), Grupamento Tático Aéreo (GTA), Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), Secretaria Estadual Saúde (SES), Hospital de Urgência de Sergipe (Huse) e profissionais da Energisa.

Segundo o Diretor do Depec, Tenente-coronel, Luciano Queiroz, a ação é uma importante ferramenta gerencial que faz parte do Sistema de Comando de Incidentes (SCI), cuja finalidade é preparar o gerenciamento dos envolvidos em casos de situações reais. “Precisamos treinar exaustivamente essa ferramenta gerencial que já tem incutida em todos os órgãos de respostas ao desastres para que eles possam fixar esse aprendizado e nós possamos saber quais deles serão os primeiros a dar as respostas em uma situação real”. explica.

O Tenente-coronel acrescenta que a realização do simulado não é uma ação isolada. “Fazemos um planejamento anual desses eventos, convocamos todos os envolvidos, que como sempre nos atenderam de imediato e desde a semana passada realizamos reuniões para discutirmos esta ação, bem como há dois dias fizemos um simulado de bancada para explicarmos como seria a ação de hoje. O resultado foi positivo, pudemos mostrar aos presentes e envolvidos como os órgãos atuam em situações de desastres e incidentes e também como os civis devem se comportar nestas situações, uma vez que ocorrências de colisões de veículos em postes de redes de energia tornou-se algo frequente em nosso Estado”, afirma.

Referência Nacional

De acordo com a Tenente-coronel do Corpo de Bombeiros Militar de Sergipe, Maria Souza, o simulado é uma excelente oportunidade atualizar os conhecimentos e traçar as principais diretrizes quando as situações ocorrerem de fato. “Estatisticamente temos um número considerável de ocorrências desse tipo. E aí, é importante que cada órgão envolvido saiba utilizar dos seus recursos com a eficiência máxima possível a fim de lograr êxito, principalmente porque esse tipo de ocorrência envolve vítimas, que são o bem maior que o Corpo de Bombeiros bem os outros órgãos têm a missão de guardar e tentar proteger da melhor forma possível,  principalmente a atividade de resgate, cujo o encarceramento de vítimas nas ferragens é um dos carros chefes da corporação, sendo que o Corpo de Bombeiros Militar de Sergipe é uma referência nacional no processo de resgate de vítimas, especialmente os de resgate veicular”, enfatiza.

Para o coordenador da Defesa Civil de Aracaju, Major Sílvio Leonardo Vieira Prado, a participação no simulado é de suma relevância para a instituição. “A Defesa Civil Estadual nos convidou para integrar essa força tarefa de organização do simulado e nós prontamente nos disponibilizamos, tanto na parte técnica, através dos alunos que estão fazendo um curso com esse tema que envolve acidentes, bem como na parte operacional de logística do que foi necessário para a montagem de barracas, e o transporte dos veículos que foram cortados e utilizados na simulação da ocorrência. Outro fator positivo, é que tenhamos uma integração com os outros órgãos envolvidos no simulado, a fim de que caso aconteça uma situação real, as pessoas que participaram saibam como funciona toda essa prática do sistema de comando acidentes e sejam o mais proativas possível”, ressalta.

Para o Gerente de Operações da Energisa, Daniel de Oliveira Flor, a realização do simulado se faz mais do que necessária. “Por manter uma parceria consolidada com o Depec, a empresa coordenou o simulado não apenas para reforçar o treinamento, mas também em razão do alto número de colisões em postes registrados nos últimos meses. O objetivo maior é que possamos treinar essa comunicação de forma organizada nesses evento e ainda elaborar formas de como melhor orientar as pessoas em caso de colisões, de como permanecer no veículo sempre que possível, e caso seja preciso, que possam sair do veículo com condições mínimas de segurança, pois, em alguns casos de colisões em postes, os envolvidos não se machucam com a colisão em si, mas, por não saberem como se retirar do veículo muitas vezes recebem descargas elétricas, se machucando seriamente ou até indo à óbito”, frisa.