Defesa Civil Estadual participa de capacitação em Análise de Risco Geológico

postado em: Sem categoria | 0

O Departamento Estadual de Proteção e Defesa Civil da Secretaria de Estado da Inclusão, Assistência Social e do Trabalho (Depec/Seit) participou, ao longo da última semana, do curso de Análise de Risco Geológico em Ações de Proteção e Defesa Civil, promovido pela Secretaria de Proteção e Defesa Civil de Maricá, no Rio de Janeiro, em colaboração com o Serviço Geológico do Brasil – CPRM (Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais). O objetivo de curso é buscar resultados para a melhoria dos sistemas de avaliação e mapeamento de riscos, previsão e alerta, e também o planejamento urbano na atuação de gestão do risco de desastres.

Durante o curso, diversos temas foram abordados, a exemplo do programa de prevenção e erradicação de riscos em assentamentos precários; introdução ao gerenciamento de áreas de risco geológico; conceitos básicos de risco e de áreas de risco; identificação, análise e mapeamento de áreas de risco de escorregamentos; roteiro metodológico para análise de risco e mapeamento de áreas de risco em setores de encosta e de baixada; identificação, análise e mapeamento de áreas de risco de alagamentos e inundações; apresentação das ações municipais e outros órgãos, além de outros temas relevantes.

O engenheiro da Defesa Civil Estadual, Alex Carvalho, destacou alguns pontos importantes tratados. “O curso auxilia na análise simplificada da constituição do solo de uma encosta, do tipo de rocha, se é sedimentar ou ígnea; do grau de risco e do quanto pode atingir a comunidade ao redor; e na elaboração de projetos de engenharia para a solução definitiva do problema. Aprendemos também sobre os tipos de deslizamentos de terra, quais as consequências e qual o tipo mais comum”, pontuou.

O diretor do Depec, cel. Alexandre José, destacou a importância da participação da Defesa Civil na capacitação. “Não teria melhor lugar para fazer essa capacitação, em função das características geológicas do Rio de Janeiro. Lá estão presentes os cenários mais críticos. Os profissionais competentes do município de Maricá podem trazer o entendimento para que os profissionais do nosso estado possam fazer avaliações mais precisas das áreas de risco”, avaliou.

Foto: Carildo Menezes